orgulho lgbt+

Dia do Orgulho e Inclusão LGBT+ nas empresas

A comunidade LGBT conseguiu levar a luta pela inclusão e pela diversidade ao ambiente corporativo e diversas empresas no mundo todo estão levantando essa bandeira. Mas apesar de estar ganhando visibilidade o movimento ainda enfrenta muitos desafios no mundo dos negócios e do trabalho, principalmente dentro de áreas mais tradicionais.

De acordo com uma pesquisa realizada pela PWC em conjunto com a rede global Out Leadership, 40% dos talentos LGBT+ no mundo não acreditam que suas empresas estejam fazendo o suficiente para incentivar a diversidade no ambiente de trabalho. Além disso, dois em cada cinco preferem encobrir aspectos de suas vidas pessoais na relação com os colegas, pois não se sentem à vontade para compartilhar essas informações. 

Vendo esses dados, não precisamos nem falar o quanto é imprescindível incentivar e abraçar a diversidade no ambiente de trabalho. As empresas, cada vez mais, estão percebendo que a produtividade dos funcionários está diretamente atrelada ao bem estar deles. Se o colaborador se sente à vontade para ser quem é, ele tem mais foco no trabalho ao invés de ficar prestando atenção no seu comportamento o tempo todo, é simples!

No último dia 28, foi comemorado mundialmente o Dia do Orgulho LGBT+ e a Send4  não ficou de fora. Comemoramos a semana LGBT e na sexta-feira (27) realizamos um evento interno superinteressante, liderado pela Head do time de tecnologia da Send4, Fabiane Pellegrino. 

Além de uma dinâmica bem especial, que fez com que cada um se colocasse no lugar de um membro da comunidade LGBT+ ao revelar sua sexualidade para amigos e conhecidos, Fabiane abriu o espaço para que todos compartilhassem o que sentiam e suas vivências. 

Conversamos também sobre como os que não fazem parte da comunidade podem se desconstruir e aprender a melhor forma de abordar esses assuntos “Se você ficou na dúvida e acha que pode ter magoado seu colega com um comentário, vai lá e pergunta pra ele. Não há problema nenhum em errar, é natural. O importante é a gente realmente ter vontade de saber e aprender”, disse Fabiane. 

É muito importante que as pessoas e empresas tenham empatia com o próximo e abram mais espaço para a diversidade no mercado de trabalho. Mas o que as empresas podem fazer para abrir o ambiente a essa comunidade?

 

Conscientizar os líderes

É muito importante que o time se sinta à vontade com o líder e que o líder saiba desse seu papel. Ter um líder aberto e inclusivo dá muito mais segurança para que o colaborador não tenha medo de ser quem é.

Deixar claro que nada irá interferir na progressão de carreira

Não ter as mesmas oportunidades que seus colegas é um grande medo dos colaboradores LGBT+. Por isso, a maioria desses colaboradores dá muito valor para programas de inclusão dentro da empresa e uma parte muito importante desse programa é representatividade LGBT+ nas posições de liderança. 

Se posicionar e defender realmente a causa

De acordo com a pesquisa da PWC mencionada no início do texto, mais de 90% dos colaboradores entrevistados acreditam que é muito importante que a empresa seja abertamente engajada nas causas e direitos LGBT+. Eles acreditam que para criar uma cultura realmente inclusiva dentro da empresa, é necessário que as ações e discursos de apoio não fiquem só dentro do ambiente corporativo.

 

Posts recentes

Terceira idade no e-commerce: como conquistá-los?

Terceira idade no e-commerce: como conquistá-los?  A terceira idade está cada vez mais online. Com vontade de experimentar e poder aquisitivo para comprar, este é um público muito atraente para o mundo online. Continue lendo

Dia do Orgulho e Inclusão LGBT+ nas empresas

Dia do Orgulho e Inclusão LGBT+ nas empresas A comunidade LGBT conseguiu levar a luta pela inclusão e pela diversidade ao ambiente corporativo e diversas empresas no mundo todo estão levantando essa bandeira. Mas apesar

Redes sociais e e-commerce: por onde começar?

Redes sociais e e-commerce: por onde começar? Que as redes sociais são essenciais para qualquer negócio não é novidade para ninguém (ou não deveria, caso você tenha um e-commerce). Mas mesmo com toda essa popularidade